Publicidade

Rihanna é a primeira mulher negra à frente de uma grife de luxo

A pop-up store de Rihanna abriu suas portas nesta sexta-feira (24) no glamouroso bairro do Marais, em Paris. Famosa por ser vanguardista, a estrela será a primeira mulher negra a dirigir uma marca de luxo, lançada em parceria com o grupo francês LVMH.

A cantora e empresária promete revolucionar o mundo da moda e empoderar as mulheres com os produtos da Fenty. "Esse é um momento histórico. É algo grande para mim e para toda minha geração", disse ela ao seleto grupo de jornalistas convidados para conhecer em primeira mão a sua coleção. "Sou minha própria musa".

A artista de 31 anos, natural de Barbados, afirma que não faz parte do seleto mundo da moda - com frequência branco e dirigido por homens - e que deseja contribuir com seu estilo. "Sou agressiva, gosto das silhuetas arredondadas e que as mulheres se mostrem seguras. É exatamente isto o que quero oferecer", afirmou a cantora durante a inauguração da loja. A estrela quer deixar sua marca na alta costura a partir do ponto de vista de uma "mulher negra que adora e adota as ideias e o entusiasmo dos jovens, e quer transformá-las em um produto de luxo para uma empresa de luxo". "A maioria das mulheres se perguntam: como quero me sentir em tal momento do dia? Estarei confortável, sexy ou me mostrarei conservadora?", disse.

Primeira coleção da Fenty
Após ter desenhado tênis esportivos para a Puma e produtos de maquiagem para a LVMH com uma paleta de cerca de 50 cores adaptadas a todos os tons de pele, Rihanna aposta em uma coleção democrática da Fenty. "Quero que qualquer mulher use meus vestidos", defende, prometendo peças de roupa até o tamanho 46.
A primeira coleção da marca se destaca pelas ombreiras pronunciadas, as formas curvas, os corpetes jeans e por saias e shorts curtos. As principais cores escolhidas pela cantora são o branco, o rosa ou o camel. Nos acessórios, o destaque é para os óculos futuristas e brincos dourados, com argolas ornamentadas de cristais.  "Não venho da indústria da moda e minha visão será muito menos tradicional", prometeu.

A loja parisiense funcionará durante os próximos dez dias, mas as peças também podem ser compradas no site da marca. Para promover a coleção, a cantora recusa os métodos tradicionais. "Não temos previsão de fazer desfiles", declarou. "É necessário que os consumidores possam comprar uma peça que eles gostem rapidamente, que não tenham que esperar seis meses. Gosto dos clientes que odeiam esperar", afirma Rihanna, criticando o longo período entre a apresentação das peças nas semanas de moda e sua disponibilização para venda em lojas. Com informações do site RFI.

Comentários

Matérias + visitadas